Empresas chinesas têm prejuízo BILIONÁRIO e investidores tomam decisão preocupante

A recuperação econômica da China não está correspondendo às expectativas do mercado internacional. Empresas do país têm prejuízo bilionário nas bolsas ao redor do mundo e investidores começam a deixar o mercado da segunda maior economia do mundo.

A política de Covid zero do governo chinês colocou em retração a economia da nação. Dessa forma, o mercado esperava um crescimento forte depois que as restrições fossem suspensas. No entanto, em dezembro, a China abandonou a posição e a economia começou a crescer, mas o ritmo não impressiona.

Além disso, a situação geopolítica interna e externa do país também influenciam o desempenho. Desde abril de 2023, as companhias chinesas tiveram um prejuízo bilionário e as suas ações perderam mais de US$ 540 bilhões em valor.

Empresas chinesas têm prejuízo bilionário apesar do aumento do consumo

Apesar de a economia do país mostrar um aumento do consumo (4,5%), os números indicam que está acontecendo um crescimento desigual. Por exemplo, mesmo com tal ampliação, as importações caíram 7,9% no mês passado.

Ou seja, os números mostram que não existe um crescimento da demanda interna por produtos. Além disso, o mercado imobiliário (que era responsável por 30% do PIB chinês) teve crescimentos ínfimos em março e abril, de 0,4% e 0,3%, respectivamente.

Outro detalhe que está influenciando a segunda maior economia do mundo é a nova lei de contraespionagem. Isso pois o governo da China acredita que as empresas de consultoria internacionais estariam espionando a nação.

Consequentemente, Pequim tem tomado várias ações e aberto investigações contra essas companhias. Com isso, muitas delas estão deixando de atuar no país asiático.

Sanções dos Estados Unidos

O declínio das relações entre China e Estados Unidos também impacta na decisão dos investidores. Afinal, muitos deles têm receio das sanções que o governo americano impôs a algumas empresas chinesas.

Juntando todos esses fatores, o mercado do país oriental não compensa tantos contrastes. Assim, corporações, fundos de investimento e investidores estão o deixando de lado.

Imagem: William Potter/shutterstock.com

Fonte: seucreditodigital.com.br