Banco pagará milhões para vítimas de tráfico sexual; entenda

O Deutsche Bank decidiu realizar pagamento milionário para vítimas de tráfico sexual. O motivo? A instituição financeira espera encerrar uma proposta de ação coletiva que acusa o banco de facilitar as atividades da quadrilha comandada pelo criminoso sexual Jeffrey Epstein.

De acordo com advogados que representam as vítimas, o banco alemão deve desembolsar o valor de US$ 75 milhões para o pagamento. Siga a leitura para entender o caso.

Banco alemão pagará US$ 75 milhões para as vítimas de tráfico sexual

No ano de 2022, uma mulher identificada como Jane Doe moveu uma ação em seu nome e no nome de outras vítimas, em Nova York.

Segundo Doe, o Deutsche Bank teria feito negócios com Jeffrey Epstein pelo período de cinco anos, mesmo tendo conhecimento de que o dinheiro era utilizado para fins ilícitos, como o tráfico sexual.

Doe afirma ter sido abusada sexualmente por Epstein e traficada entre os anos de 2003 e 2018. A vítima alega que foi paga em dinheiro por serviços sexuais. Na ação, é destacado que o banco ignorou os sinais de que o cliente estava realizando atividades criminosas.

O banco alemão também foi multado, em 2020, pelo regulador financeiro do estado de Nova York em US$ 150 milhões. O motivo da multa também estaria relacionado a Epstein, uma vez que o Deutsche não teria monitorado de maneira adequada as negociações com o homem.

Em 2019, Epstein se matou enquanto aguardava julgamento em uma prisão federal, em Nova York. Jeffrey tinha acusações de tráfico sexual.

O que diz o banco?

Além do banco alemão, uma outra ação inclui J.P. Morgan. De acordo com as Ilhas Virgens dos Estados Unidos, o banco também seria responsável por facilitar as atividades criminosas de tráfico sexual praticadas por Jeffrey Epstein. O CEO do banco, Jamie Dimon, deve depor ainda neste mês de maio.

As informações são de que ambas as instituições financeiras tiveram Epstein como cliente após ele se declarar culpado em 2008 pela prostituição de um menor de idade.

Um porta-voz do Deutsche Bank, identificado como Dylan Riddle, teria se recusado a comentar sobre o acordo aceito pela empresa. Apesar disso, contou que a companhia investiu mais de 4 bilhões de euros para aumentar a segurança do banco e combater o crime financeiro.

Imagem: Freedom my wing / Shutterstock.com

Fonte: seucreditodigital.com.br