Banco Central da Argentina lança cédula de 2 mil pesos

Banco Central da Argentina lança nova moeda para tentar diminuir o impacto do crescimento descontrolado da inflação no país. A partir desta segunda-feira (22), os argentinos têm à sua disposição uma nova nota de 2 mil pesos.

Até ontem, a maior nota nominal da Argentina era de 1000 pesos. Entretanto, o aumento da inflação e da cotação do dólar fizeram com que a moeda do país se desvalorizasse e, consequentemente, a população precisasse de mais moeda para comprar os produtos.

Nesse cenário de crise econômica, os caixas eletrônicos e os bancos estão sob forte pressão para conseguir fornecer o dinheiro que a população precisa. Assim, o Banco Central da Argentina resolveu criar uma nota mais alta.

Banco Central da Argentina estabelece juros a 97% ao ano

A criação da nota de 2000 pesos é apenas mais uma das estratégias do Banco Central da Argentina para tentar controlar a inflação. Entretanto, o mercado financeiro não vê uma melhora no quadro do país num futuro próximo.

Atualmente, a taxa de juros básica no país vizinho está em 97% ao ano, já que a inflação da Argentina, no acumulado dos últimos 12 meses, é maior do que 108%. A expectativa do mercado é de que a variação dos preços feche o ano em 126%.

Junto com a nova moeda, o Banco Central da Argentina também estuda a criação de meios de pagamentos digitais para diminuir a necessidade da população por moedas físicas à medida que os preços aumentam. Só esse ano a inflação cresceu mais de 30%.

Cotação da nova moeda

Além da inflação, a cotação da moeda argentina está extremamente desvalorizada em relação ao dólar americano. Por exemplo, oficialmente, a moeda de 2 mil pesos equivale a US$ 8,20, contudo, no mercado paralelo ela está sendo negociada por cerca de US$ 4.

Quando comparado ao real brasileiro, a nova nota equivale a R$ 42,43.

Imagem: Divulgação/Site do Banco Central da Argentina

Fonte: seucreditodigital.com.br